Trivela

Liga Europa

No primeiro jogo das oitavas de final, na Itália, o Napoli construiu uma vantagem de 3 a 0 que se mostrou muito significativa diante do que aconteceu na partida de volta. Provando mais uma vez sua força como mandante, o Red Bull Salzburg não chegou a ameaçar a vaga dos italianos, mas se aproximou disso, ao vencer por 3 a 1 e continuar pressionando até o apito final. No fim das contas, o gol de Milik na Áustria acabou sendo decisivo.

LEIA MAIS: O Napoli reforçou suas credenciais na Liga Europa, com uma vitória contundente sobre o Salzburg

Carlo Ancelotti não deu sopa ao azar e escalou o melhor que tinha à disposição. Mas teve problemas na defesa, com Koulibaly e Maksimovic suspensos e Raúl Albiol machucado. Vlad Chiriches e Sebastian Luperto eram os únicos zagueiros sobrando. Lorenzo Insigne foi cortado no aquecimento, dando espaço a Dries Mertens.

Após 14 minutos bem equilibrados, Milik jogou água fria no ímpeto dos austríacos com um bonito gol, que contou com a ajuda de uma atrapalhada generalizada da defesa do Salzburg. Mário Rui cruzou rasteiro da esquerda. Andreas Ulmer cortou em cima de Jérôme Onguéné. O goleiro Alexander Walke defendeu no susto, mandando a bola para cima, e Milik emendou um chute acrobático.

Depois desse gol, o Napoli tratou de administrar o ritmo, mas o Red Bull Salzburg ignorou que perdia por 4 a 0 no placar agregado e manteve o pé baixo no acelerador. Conseguiu o empate, ainda no primeiro tempo, aproveitando erro de Allan na saída de bola. Dominik Szoboszlai interceptou e tocou para Munas Dabbur, que deixou Chiriches no chão, com um corte seco, e empatou.

Embora Alex Meret tenha feito apenas duas defesas ao longo da partida, o Salzburg foi constantemente uma ameaça, com uma série de finalizações perigosas para fora. A pressão na saída de bola funcionou de novo e, depois de uma boa troca de passes, Ulmer cruzou para Fredrik Gulbrandsen fazer 2 a 1.

Aconteceu bastante coisa no fim da partida. Dabbur acertou a trave de Meret e Christoph Leitgeb, completando cobrança de falta, fez 3 a 1 para o Salzburg. Nos segundos finais, a bola ainda sobrou para Onguéné, em boa posição dentro da área, mas o zagueirão mandou para fora a chance de empatar o confronto – com placar que ainda daria a vaga para o Napoli pelo gol fora de casa.

De qualquer maneira, o Red Bull Salzburg, semifinalista da última edição, mostrou mais uma vez que adora a Liga Europa. Teve o azar de pegar um sorteio muito difícil já nas oitavas e, mesmo assim, brigou até o último segundo. Certamente assustou o Napoli e manteve invencibilidade de dois anos e meio em casa pela competição.

Trivela

VOLTAR AO TOPO