Trivela

La Liga

Éder Militão chegou ao Porto em agosto de 2018, mas não completará um ano no clube. Vendido pelo São Paulo ao Porto por € 7 milhões por estar a seis meses do fim do contrato. O Real Madrid irá pagar € 50 milhões pelo defensor, que pode jogar como lateral direito ou zagueiro e tem 21 anos. O contrato será de seis temporadas, até junho de 2025. É o primeiro reforço da segunda passagem de Zinedine Zidane no comando dos merengues. É com ele que os merengues começam o seu processo de renovação, muito necessário no time, como já enfatizado pelo próprio Zidane. É também um nome importante no processo de renovação da Seleção e já está no grupo de Tite.

LEIA TAMBÉM: Zidane volta ao Real Madrid para fazer as mudanças que não poderia ter feito – e com novos desafios

O negócio estava praticamente acertado desde o começo do ano e só não tinha sido anunciado porque faltavam detalhes do acerto com o São Paulo, que detinha uma porcentagem dos direitos do jogador. O clube brasileiro tinha direito a 10% do valor da transação, conforme acertado em contrato, além dos 3,5% como clube formador, o que totaliza cerca de € 6,5 milhões (algo próximo a R$ 29 milhões). Algo que certamente faz com que a diretoria do tricolor paulista comemore, porque ganha um dinheiro para tentar cobrir um pouco das muitas trapalhadas que tem feito.

Com 1,86 metro de altura, é rápido, tem porte físico e muito bom no jogo aéreo. Chega ao Real Madrid para ser, a princípio, reserva de Raphael Varane e Sergio Ramos, titulares no centro da zaga, além de ser um eventual substituto para o lateral direito Dani Carvajal. É preciso esperar para ver quem ficará na reformulação do elenco. No São Paulo, se formou como um volante, subiu ao profissional como zagueiro e foi adaptado para atuar como lateral direito pelo técnico Rogério Ceni na sua passagem como técnico do clube do Morumbi em 2017. Sua saída causou um impacto enorme no clube brasileiro, que liderava, naquele momento, o Campeonato Brasileiro, e não houve um substituto à altura. Bruno Peres, que chegou para o seu lugar, é o seu oposto: um lateral ofensivo, mais atacante que defensor.

“É um jogador muito jovem, polivalente, com muita vontade de fazer bem; tem muita margem de melhora, é um jogador com grande futuro”, afirmou o goleiro espanhol Iker Casillas, ex-Real Madrid. “É muito bom, têm muita qualidade e um grande futuro pela frente”, disse outro ex-Real Madrid, o zagueiro Pepe. Curiosamente, Militão seguirá pelo mesmo caminho trilhado 12 anos antes pelo próprio Pepe, que assim como o ex-jogador do São Paulo, foi contratado por um valor recorde para um defensor.

Com Militão, o Real Madrid deve se livrar de alguns nomes. O mais cotado é Jesús Vallejo, que mal jogou e era a quarta opção para a zaga. Outro que pode ficar em risco é Nacho, atual reserva imediato do setor. Aos 29 anos, Nacho provavelmente buscará um clube onde possa jogar e ser titular, até pelas suas ambições de seleção espanhola.

Militão já é jogador da seleção brasileira desde o ano passado, quando estreou em amistoso contra El Salvador, nos Estados Unidos, como lateral direito. Está novamente na lista de convocados do técnico Tite para os amistosos de março. Tem muito potencial para ser não só um jogador importante no Real Madrid, que precisa da renovação, mas também na seleção brasileira. Afinal, dos zagueiros que estiveram na Copa e que foram recentemente convocados por Tite, o mais jovem é Marquinhos. Os demais já passam dos 30 anos. Militão pode ocupar um espaço importante também na renovação da seleção brasileira.

Trivela

VOLTAR AO TOPO