Trivela

Europa

Clássicos sempre merecem uma recepção especial das torcidas, ainda mais quando são decisivos. Neste domingo, o Brondby recebeu o Copenhague, em dérbi fundamental à disputa do título no Campeonato Dinamarquês. E os anfitriões resolveram proporcionar uma festa diferente durante a entrada dos times em campo. Nada de mosaico, de papel picado ou de qualquer outro recurso. Exceção feita a poucas bandeiras e faixas, além de um sinalizador, o espetáculo não era dado por apetrechos específicos. A atmosfera fantástica se transformava através dos corpos dos próprios torcedores – cantando, pulando e batendo palmas de maneira incrivelmente coordenada. Mais de 25 mil formando uma só massa, e rendendo uma cena de arrepiar.

Dentro de campo, o Brondby correspondeu. Venceu o clássico por 2 a 1, de maneira completamente emocionante. Peter Ankersen deixou o Copenhague em vantagem no primeiro tempo e os visitantes poderiam ter ampliado na volta do intervalo, em pênalti que estremeceu o travessão. O empate saiu apenas aos 31 do segundo tempo, em lance de oportunismo de Kamil Wilczek. Já aos 45, os anfitriões consumaram a vitória graças a Hany Mukhtar. O camisa 10 cobrou uma falta cheia de efeito e permitiu que as arquibancadas explodissem de alegria. Foi a quarta vitória consecutiva dos auriazuis no dérbi, em sequência que não acontecia desde 1997.

Com o resultado, o Brondby mantém a liderança do Campeonato Dinamarquês. Tem os mesmos 69 pontos do Midtjylland, mas vantagem no saldo de gols. Os auriazuis não colocam a mão na taça desde 2004/05. Já o Copenhague é o quarto colocado, a seis pontos da zona de classificação à Liga Europa. O clube corre o risco de ficar de fora das competições continentais pela primeira vez desde a temporada 2000/01.

Os comentários estão desativados.

Trivela

VOLTAR AO TOPO